Como começar a escrever o TCC: o método que nunca te ensinaram

Tempo de leitura: 20 minutos

Você tem os tópicos do Seu TCC definidos, já encontrou material para pesquisa, e é chegada a hora de começar a escrever. Mas você não sabe como criar e montar seu próprio texto a partir do material encontrado.

Então vamos resolver seu problema utilizando este método que provavelmente nenhum professor te ensinou.

Aqui será indicada uma prática pouco adotada por orientadores de forma geral. Alguns até desaprovam, mas o fato é que não estamos preocupados com atender às metodologias atrasadas que eventualmente ainda são utilizadas por alguns professores, mas sim em levar você ao melhor e mais rápido resultado possível com Seu TCC. E, neste caminho, o método que vai conhecer agora é especialmente prático e eficaz.

 

COPIAR E COLAR

Lembra dos tempos de Ensino Fundamental, de quando você fazia trabalhos de escola totalmente copiados de livros ou da internet, sem mudar nenhuma linha? Neste primeiro momento você vai fazer a mesma coisa.

Estamos considerando, aqui, que você já encontrou material para a pesquisa do Seu TCC, e que, agora, vai utilizar este material para escrever seu próprio texto. Mantenha cópias desse material no seu computador ou nos favoritos do navegador de internet.

Selecione os trechos necessários do material que você escolheu e vá inserindo exatamente como estão no documento original, sem mudar nada. Se o material for digital, copie e cole, sem dó. Faça como se estivesse montando seu TCC de forma totalmente plagiada, porque, depois, virá o momento de estruturar tudo para ficar perfeito.

Organize os trechos copiados ou colados em uma ordem coerente, de forma que um assunto continue o outro. A intenção é que o resultado fique o mais próximo possível de um trabalho pronto, porém, feito totalmente com trechos copiados e colados. Repita o processo em todos os capítulos e subcapítulos do seu referencial teórico e de outros tópicos que necessitem de texto teórico. Repetindo: deixe seu referencial teórico pronto, mas somente com trechos copiados e colados das fontes que escolheu anteriormente.


Dica: para colar conteúdo vindo da internet, de um PDF ou de outro documento sem trazer junto a formatação e estragar a estrutura do seu trabalho, utilize, no Word, a opção Manter somente texto do botão Colar.

A imagem apresenta o caminho para Word 2010. Se você utiliza Word 2007, o caminho é o seguinte:

Aqui, um vídeo mostrando o processo:

Colar da internet sem estragar formatação

Sabe quando você copia um conteúdo de algum site da internet ou PDF e, quando cola, ele traz as configurações da origem e fica cheio de erros de formatação?Neste vídeo, ensino como colar algo vindo da internet, de um PDF ou de qualquer fonte sem comprometer a formatação do seu documento!Veja aí, deixe seu like e compartilhe!#TCC #formatação

Posted by Andre Daiki on Sunday, August 27, 2017


Para cada trecho copiado e colado, coloque, ao final do parágrafo, o seguinte:

  • Último nome do autor;
  • Ano da publicação da fonte;
  • Número da página de onde o trecho foi extraído;
  • Informações necessárias para que você consiga, no futuro, encontrar novamente a fonte e o local de onde o trecho veio.

Utilize o formato do exemplo seguinte:


Evidenciam-se os seguintes elementos químicos necessários para manter a fertilidade das terras agricultáveis: nitrogênio (N), fósforo (P), potássio (K), cálcio (Ca), enxofre (S) e magnésio (Mg), que são chamados elementos maiores, ou, macro-elementos. […] A acidez é ocasionada principalmente pela lavagem de alguns elementos nutritivos, tais como sódio, cálcio, magnésio e potássio. Em consequência, haverá liberação de íons de hidrogênio e alumínio, dificultando o crescimento da planta (AMARAL, 1990, p. 78). Noções de conservação do solo: do Ministério da Educação e Cultura. Conservação do solo.pdf


No exemplo, observe o final do parágrafo. Os itens são os seguintes:

  • Amaral: último nome do autor;
  • 1990: ano de publicação do livro;
  • 78: número da página de onde foi retirado o trecho;
  • Texto em vermelho: nome do livro;
  • Texto em azul: nome do arquivo no seu computador ou nos favoritos do navegador.

Fazendo assim, sempre que você precisar voltar a encontrar aquele trecho na obra original, terá em mãos todas as informações necessárias para chegar a ele facilmente. Adotando esta prática e mantendo as fontes no computador ou nos favoritos do navegador, tudo fica mais fácil.

Depois que o referencial teórico estiver pronto, os textos em vermelho e azul serão removidos, já os itens dentro dos parênteses permanecerão, inclusive os próprios parênteses. Isso é uma norma padronizada de formatação para citações.

Somente apague as partes coloridas ao final, pois pode voltar a precisar delas a qualquer momento. Uma boa prática é inclusive manter uma versão do TCC sem apagá-las, mesmo depois que o referencial teórico estiver pronto. É uma medida de segurança que pode ajudar muito.


Dica: evite colar trechos seguidos de um mesmo autor. Procure intercalar, de forma que os autores se misturem no desenvolvimento do trabalho, sem que fiquem, ao final, vários trechos seguidos de um autor só.


Poucos professores orientam a coleta de conteúdo desta maneira, e este método não está em livros. É resultado de anos de experiência e experimentações. Ele pode, assim como outras práticas apresentadas em nossos artigos, economizar semanas de trabalho.

A seguir, um exemplo com uma sequência de trechos copiados e colados, um depois do outro, de forma que os assuntos tenham continuidade entre si.


Os solos apresentam, em diferentes graus, certas limitações que restringem ou mesmo impedem uma produção agrícola viável (FERREIRA, CRUZ e FERREIRA, 1990, p. 48). Avaliação da fertilidade empregando o Sistema IAC de Análise de Solo. Avaliação da fertilidade.pdf (favoritos do pc)

Evidenciam-se os seguintes elementos químicos necessários para manter a fertilidade das terras agricultáveis: nitrogênio (N), fósforo (P), potássio (K), cálcio (Ca), enxofre (S) e magnésio (Mg), que são chamados elementos maiores, ou, macro-elementos. […] A acidez é ocasionada principalmente pela lavagem de alguns elementos nutritivos, tais como sódio, cálcio, magnésio e potássio. Em conseqüência, haverá liberação de íons de hidrogênio e alumínio, dificultando o crescimento da planta (AMARAL, 1990, p. 78). Noções de conservação do solo: do Ministério da Educação e Cultura. Conservação do solo.pdf

Tempo de entrega para remessa de amostra de solos do CEFET Bambuí: três dias. Valor: análise de rotina: R$10,00; Análise completa: R$30,00 (MIRANDA, 2007). Entrevista do responsável pelo laboratório de solos do CEFET Bambuí. Entrevista.pdf


Assim, você procede com trechos copiados e colados, um depois do outro, para todos os capítulos do seu referencial teórico.


Dica: se você encontrar, em alguma fonte, um trecho que já seja copiado de outra obra, ou seja, se você desejar fazer uma citação de outra citação, pode utilizar o termo latim apud, que, em trabalhos acadêmicos, significa citado por.

Por exemplo, se você percebesse que o trecho de Amaral (1990), do exemplo anterior, já fosse uma cópia de Ferreira, Cruz e Ferreira (1990), também do exemplo anterior, e se você desejasse recopiar esse trecho no seu trabalho, você colocaria da seguinte maneira dentro dos parênteses: (AMARAL, 1990 apud FERREIRA, CRUZ e FERREIRA, 1990, p. 48). Assim, você estaria indicando que sua cópia é de um trecho de Amaral, e que o trecho de Amaral já era uma cópia de Ferreira, Cruz e Ferreira.


No entanto, aqui cabe mais uma colocação polêmica que vem dos anos de experiência: as bancas de avaliação costumam valorizar mais os trechos copiados de fonte original. Ou seja, no exemplo que acabou de ver, geralmente seria dado mais valor se, no lugar de copiar o trecho de Amaral que já era uma cópia, você encontrasse o livro de Ferreira, Cruz e Ferreira e fizesse a cópia diretamente dele, colocando somente eles nos parênteses, sem mencionar Amaral.

Acontece que isso pode ser uma tremenda perda de tempo!

Se você tiver certeza de que Amaral é um autor confiável e ético, que não colocaria em seu livro um trecho que não fosse legítimo e verdadeiro, por que não fazer a cópia diretamente dele, economizando todo o tempo de encontrar o livro de Ferreira, Cruz e Ferreira?

A resposta é: não existe um motivo lógico para não copiar diretamente de Amaral, desde que, como mencionado, você tenha certeza de que se trata se um autor confiável e ético, que não colocaria em seu livro um trecho que não fosse legítimo e verdadeiro.

Então, como fazer para copiar diretamente de Amaral, economizando o tempo de procurar a fonte de Ferreira, Cruz e Ferreira, e, ao mesmo tempo, agradar à banca de avaliação?

É aqui que reside a polêmica: desde que o trecho seja uma cópia fiel e não uma adaptação, você pode copiar diretamente de Amaral e simplesmente colocar nos parênteses os dados de Ferreira, Cruz e Ferreira, como se tivesse copiado diretamente deles, e pronto. Então, basta omitir Amaral e “fazer de conta” que pesquisou diretamente em Ferreira, Cruz e Ferreira.

Por que é polêmico?

Porque muitos professores são conservadores e ainda não estão alinhados com os tempos digitais. Esses professores ainda carregam práticas dos tempos em que se passavam tardes inteiras em bibliotecas. Eles vão dizer que você está citando uma obra que não passou realmente por suas mãos, e esses professores podem desaprovar a prática. Acontece que, mais uma vez, estamos na era da informação rápida, e se você tem certeza de que se trata de um autor confiável e ético, não existe motivo lógico para perder tempo procurando a fonte original. A intenção é buscar a informação em uma fonte e mencionar tal fonte, e você está fazendo isto sem comprometer a qualidade do seu conteúdo.

Por se tratar de uma prática que pode ser desaprovada por esses professores conservadores, pode ser interessante você considerar não mencionar que fez a cópia de Amaral, e realmente manter o discurso de que copiou diretamente de Ferreira, Cruz e Ferreira.


Observação importante: não estou, aqui, instigando a nada. Afirmo convictamente que esta prática não é antiética ou trapaceira, embora alguns professores conservadores possam discordar. Ensino, unicamente, formas práticas e rápidas de compor um TCC de qualidade.


Como sei que o autor é confiável e ético?

Você pode confiar em um autor se ele é largamente utilizado e reconhecido na área de conhecimento do seu curso, se ele é amplamente recomendado pelos seus professores ou se ele é repetidamente utilizado em vários trabalhos ou fontes que você tenha pesquisado na internet.


Observação importante: somente copie o trecho mencionando o autor original caso tenha certeza de que o trecho em questão seja uma cópia fiel, ou seja, tenha sido copiado tal qual estava na obra original, sem nenhuma adaptação. No exemplo que está sendo utilizado, tenha certeza de que Amaral copiou o trecho exatamente como estava na obra de Ferreira, Cruz e Ferreira, sem fazer nenhuma adaptação. Caso as tenha feito, não utilize a prática de omitir Amaral, ok?


E como sei que um trecho que este autor colocou em sua obra é uma cópia fiel de outro autor, e não uma adaptação?

Basicamente, você só tem esta certeza quando se trata de uma citação direta, e vou explicar do que se trata e como identificar uma.

Existem dois tipos de citação: direta e indireta. A citação direta acontece quando o autor de um livro ou trabalho copia um trecho exatamente como está na fonte em que ele pesquisou, sem alterar nenhuma palavra. Já a citação indireta acontece quando o mesmo autor reescreve o trecho com suas próprias palavras, ou seja, fazendo uma adaptação na escrita para encaixá-la em seu próprio texto.

Você só pode copiar um trecho mencionando o autor original caso se trate de uma citação direta. No nosso exemplo, se Amaral, o autor que você está pesquisando, apresenta um trecho copiado de Ferreira, Cruz e Ferreira, você só pode copiar esse trecho, omitindo Amaral e mencionando Ferreira, Cruz e Ferreira como autores, se o trecho for uma citação direta, ou seja, se Amaral não tiver feito nenhuma adaptação no trecho.

Você sabe que uma citação é direta se ela está recuada ou entre aspas, assim:

Na figura, o primeiro trecho marcado em amarelo está entre aspas, o que indica que foi copiado sem adaptações, ou seja, é uma citação direta. O segundo trecho está recuado e em fonte menor, o que também indica que foi copiado sem adaptações, portanto, também uma citação direta. Em qualquer um dos dois casos, o método de copiar mencionando somente o autor original poderia ser utilizado.


Observação: não apresente partes do Seu TCC ao orientador enquanto estiver nesta fase de cópias. Somente leve a ele partes que já tiverem passado pelo processo que será apresentado no tópico seguinte, que trata da estruturação e montagem do texto.


Uma vez que você tiver copiado e colado todos os trechos que desejar, em todos os capítulos e subcapítulos do seu referencial teórico e de outros capítulos que contenham conteúdo também teórico, tem início a fase de estruturação e montagem do seu texto final, que será tratada a seguir.

 

ESTRUTURANDO E MONTANDO SEU TEXTO

Neste ponto, você tem todo seu referencial teórico estruturado, com capítulos e subcapítulos criados, organizados e preenchidos com trechos copiados, colados e referenciados das diversas fontes que pesquisou. Ou seja, se uma pessoa ler, já é possível que entenda o que você quer transmitir.

Agora, falta estruturar este texto para que ganhe formas de trabalho científico, o que não tem muito segredo. No fim, o texto precisa perder a característica de cópia e ganhar um formato que mostre que foi você que escreveu, e os trechos que permanecerem terão sido tão somente menções que você fez de outros autores.

Partindo do tópico anterior, foi mostrado pra você um exemplo com três trechos copiados e colados, de três autores diferentes. Este exemplo está repetido a seguir:


Os solos apresentam, em diferentes graus, certas limitações que restringem ou mesmo impedem uma produção agrícola viável (FERREIRA, CRUZ e FERREIRA, 1990, p. 48). Avaliação da fertilidade empregando o Sistema IAC de Análise de Solo. Avaliação da fertilidade.pdf (favoritos do pc)

Evidenciam-se os seguintes elementos químicos necessários para manter a fertilidade das terras agricultáveis: nitrogênio (N), fósforo (P), potássio (K), cálcio (Ca), enxofre (S) e magnésio (Mg), que são chamados elementos maiores, ou, macro-elementos. […] A acidez é ocasionada principalmente pela lavagem de alguns elementos nutritivos, tais como sódio, cálcio, magnésio e potássio. Em conseqüência, haverá liberação de íons de hidrogênio e alumínio, dificultando o crescimento da planta (AMARAL, 1990, p. 78). Noções de conservação do solo: do Ministério da Educação e Cultura. Conservação do solo.pdf

Tempo de entrega para remessa de amostra de solos do CEFET Bambuí: três dias. Valor: análise de rotina: R$10,00; Análise completa: R$30,00 (MIRANDA, 2007). Entrevista do responsável pelo laboratório de solos do CEFET Bambuí. Entrevista.pdf


Até aqui, nada de novo. É um exemplo com três trechos que teriam sido copiados e colados de suas fontes da maneira como foi ensinado no tópico anterior.

Agora, um exemplo de como esses três trechos poderiam ficar depois de estruturados:


Ferreira, Cruz e Ferreira (1990, p. 48) afirmam que “os solos apresentam, em diferentes graus, certas limitações que restringem ou mesmo impedem uma produção agrícola viável”. Assim, é importante ressaltar, em cada amostra, o maior número de características relevantes possível.

Amaral (1990) evidencia os elementos químicos necessários para manutenção do solo e explica o acontecimento da acidez do mesmo:

Evidenciam-se os seguintes elementos químicos necessários para manter a fertilidade das terras agricultáveis: nitrogênio (N), fósforo (P), potássio (K), cálcio (Ca), enxofre (S) e magnésio (Mg), que são chamados elementos maiores, ou, macro-elementos. […] A acidez é ocasionada principalmente pela lavagem de alguns elementos nutritivos, tais como sódio, cálcio, magnésio e potássio. Em conseqüência, haverá liberação de íons de hidrogênio e alumínio, dificultando o crescimento da planta (AMARAL, 1990, p. 78).

Além dos elementos químicos, é importante ressaltar os prazos e valores para a prática de análise do solo. Miranda (2007) explica que o tempo de entrega para uma remessa de amostras, no laboratório de solos do CEFET Bambuí é de três dias, e os valores variam de R$10,00, para análise de rotina, a R$30,00, para análise completa.

Após estar com os resultados em mãos, os mesmos são lançados em um sistema especializado, que gera um mapa temático, indicando os vários níveis de cada elemento na extensão do terreno.


Percebe a diferença? O que foi feito?

Simplesmente, os trechos foram reescritos de forma a ganhar um corpo típico de trabalho acadêmico, com continuidade e clareza, em que um único autor (você) assume o texto como seu e todos os outros são menções que enriquecem o conteúdo.

Não existe fórmula para esta fase, de maneira que o processo a ser adotado implicará em montar o texto, apresentar ao orientador e fazer ajustes que sejam necessários.

Porém, ainda que não exista fórmula, algumas dicas podem facilitar o processo:

  • Coloque suas palavras de forma que elas dêem continuidade ao texto. Um trecho precisa dar continuidade a outro, ou seja, um assunto não pode ser encerrado e nem iniciado abruptamente;
  • Mantenha alguns trechos copiados exatamente como estão e escolha outros para você reescrever com suas próprias palavras;
  • Utilize sempre texto em terceira pessoa, nunca em primeira (ex.: não diga “podemos perceber”, e sim “percebe-se”. Não diga “lançamos os dados”, e sim “os dados são lançados”. Não diga “constatei”, e sim “ficou constatado”). Ou seja, não escreva nada como faça referência a “eu” ou a “nós”;
  • Um capítulo ou subcapítulo nunca deve ser iniciado ou terminado com um trecho copiado. Sempre inicie e termine com um texto seu, que deverá introduzir e concluir o assunto;
  • Procure encerrar um capítulo ou subcapítulo com um gancho que chame ou anuncie o seguinte (ex.: “a correção do solo deverá ser feita de forma seletiva, orientada por um GPS, para, então, ser dado início ao processo de plantio”. Neste exemplo, seria iniciado, logo depois, o capítulo tratando do plantio, de forma que o texto faça ligação com o capítulo em si);
  • Os trechos copiados não podem ser maioria do seu referencial teórico. Então, é preciso que você escreva ou adapte o suficiente para superar a quantidade de texto copiado;
  • Não deixe trechos copiados muito longos. Se o trecho tiver mais do que 10 ou 12 linhas, tente separá-lo em mais de um, incluindo texto seu entre as partes (ex.: “percebe-se que o autor evidencia……., e então continua”). Ao fazer isso, mantenha os parênteses com o último nome autor, ano e número da página em cada uma das partes divididas;
  • Nunca deixe um trecho copiado ou adaptado sem a referência do autor conforme já foi mostrado, nos parênteses ao final do trecho;
  • Nunca faça uma afirmação que não seja baseada em um trecho de outro autor. No referencial teórico, você não pode afirmar nada que venha do seu próprio conhecimento. Tudo precisa ser baseado nos trechos que você copiou anteriormente, e seu próprio texto tem a função de ligar um trecho a outro, adaptar certos trechos, introduzir e concluir os assuntos;
  • Não emita opiniões pessoais. O trabalho científico tem por finalidade o estudo de fatos, e não aceita opinião pessoal em hipótese nenhuma;
  • Tome outros trabalhos como exemplos. Você pode encontrá-los na internet, e podem ser, inclusive, os que você pesquisou para compor seu próprio TCC.

No fim, releia tudo, releia quantas vezes forem necessárias até estar satisfeito. Leia e pense com sinceridade: se fosse um livro ou o trabalho de outra pessoa, eu teria entendido perfeitamente o que está escrito, sem restar nenhuma dúvida?


Dica: espere de dois a três dias entre a escrita e a releitura. Se reler imediatamente depois de escrever, sua mente pode estar tendenciosa e deixar passar alguma correção valiosa que possa ser feita.


Pode ser uma boa ideia, ainda, pedir que outra pessoa leia e diga se entendeu tudo. De preferência, uma pessoa da mesma área e que esteja em uma fase anterior à sua na graduação. Somente cuide para que a pessoa não diga que entendeu sem ter realmente entendido. Alguns podem fazer isso para não parecerem chatos.

Se perceber que alguma parte mereça ser reajustada, faça sem hesitar, sem preguiça e sem remorso. Não se apegue ao que já está escrito. Tente melhorar sempre que puder ser melhorado. E, por fim, apresente o resultado ao seu orientador para ver o que ele irá dizer.

E, caso você precise incluir conteúdos teóricos em outras partes do Seu TCC que não sejam o referencial teórico, adote o mesmo procedimento apresentado aqui, que não tem erro.


Agora, diga nos comentários se entendeu perfeitamente o processo e se está tendo dificuldades em montar seu texto.

Vou ler cada comentário pessoalmente e esclarecer cada dúvida!

 

Gostou deste conteúdo?

Então, convido você a visitar minhas redes sociais. Em cada uma delas, uma experiência diferente. Os botões estão no rodapé desta página.

E se quer ficar ainda mais por dentro e revolucionar de vez Seu TCC, inscreve seu e-mail no campo logo abaixo deste artigo. Aí sim, vamos conversar de perto!

Participe da discussão!